Capítulo 3

Capítulo 3 - Amizade x Amor



Após um mês de relacionamento bem-sucedido, Enzo e Daniel resolveram comemorar o primeiro mês de namoro no lugar mais significativo para eles desde o primeiro dia em que se conheceram, a lanchonete "Snack".

- Lembra quando a gente vinha aqui quase todo dia? - disse Enzo enquanto se deliciava com um generoso pedaço de bolo.
- Lembro sim, eu nem percebia as horas passarem enquanto a gente estava aqui! - respondeu Daniel, e, depois de se inclinar sobre a mesa para chegar mais perto de Enzo, continuou - Eu poderia passar o dia todo conversando contigo se não tivesse as aulas para nos interromper! - ele riu e prosseguiu - eu tenho certeza que já era apaixonado por ti desde aqueles dias, mas não conseguia perceber as coisas dessa forma.
- Que bom que percebestes logo então! - Disse Enzo em meio a risos - Porque eu tive que ficar muito tempo calado sobre como eu me sentia em relação a ti, esperando por aquele dia em que irias notar que eu estava completamente apaixonado pelo meu melhor amigo!

Nesse momento, Daniel segurou a mão de Enzo em cima da mesa, olhou bem fundo em seus olhos e disse:

- Eu te amo Enzo! E para marcar o nosso primeiro mês de namoro eu quero te dar isto, - Daniel retirou da mochila uma caixinha contendo um cordão com um pingente em forma de duas mãos unidas - Esse pingente simboliza a nossa união, que vai além de um simples namoro, pois, acima de tudo, és o meu melhor amigo, o que te faz ainda mais especial pra mim.



Enzo não conseguiu nem falar por alguns instantes, de tanta emoção, de modo que somente pegou o cordão das mãos de Daniel e colocou no pescoço. Quando terminou de colocar o cordão, ele olhou novamente para Daniel e disse:

- Desde a primeira vez que eu pisei nessa universidade,  apesar de ter conhecido muitas pessoas na semana do calouro, a única pessoa que realmente me chamou a atenção foi você, não somente porque você é um gato - ele riu e continuou -, o que você realmente é, mas também porque você tem o dom de me fazer querer passar horas ao seu lado, me faz sentir especial e me faz querer fazer o tempo parar quando nós estamos juntos - enquanto Enzo também retirava da mochila uma caixinha ele continuou - eu também, coincidentemente, te comprei um cordão, e o significado deste pingente em forma de infinito é o tempo que eu espero que a nossa relação dure! Eu também te amo Daniel!

A comemoração do primeiro mês de namoro de Enzo e Daniel foi muito agradável, tranquila e prazerosa, apesar de não poderem ter se beijado, visto que ainda estavam tentando manter segredo em relação às outras pessoas, principalmente Frida, com quem ainda não tinham conversado a respeito do namoro. Porém, quando Daniel foi deixar Enzo em casa, após a comemoração na "Snack", os dois ainda permaneceram algum tempo no carro, aproveitando a oportunidade para darem o tão desejado beijo de comemoração, que foi seguido de muitos outros. Quando estava se despedindo de Daniel, Enzo disse:

- Eu mal posso esperar pelo dia em que eu vou poder te apresentar para os meus pais como meu namorado! Eles já te adoram como meu amigo, imagina a reação quando descobrirem que estamos namorando!
- Eu prometo que faremos isso em breve amor - os dois pararam de falar por um instante quando Daniel disse isso, pois aquela era a primeira vez que ele chamava Enzo daquela forma.
- O que você disse? - Enzo mal conseguia conter a sua alegria.
- Eu disse AMOR - Daniel enfatizou bastante a pronúncia - é isso que você é pra mim - então ele começou a corar, puxou Enzo mais perto e lhe deu um beijo - Agora boa noite amor! Durma bem!
- Obrigado amor! pra você também! me liga quando chegar em casa tá?

Depois disso, os dois se despediram com um beijo e se dirigiram às suas respectivas casas.
No outro dia, Daniel, como de costume, buscou Enzo em casa para irem à aula. Quando chegaram na UFTU, Daniel acompanhou Enzo até a sala de aula e, depois, seguiu para a sua sala.
Quando Enzo entrou na sala de aula, se dirigiu até uma cadeira ao lado de Frida, que o aguardava ansiosamente para conversar.

- Oi amigo! A Juliana disse que te viu ontem na "Snack" com o Daniel! Por que não me convidaram?
- Ah, é verdade - ele tentou parecer o mais tranquilo possível -  porque foi uma coisa de improviso, ele disse que queria conversar algumas coisas comigo e a gente marcou de se encontrar lá.

- Entendi! coisas de homem né! - ela riu - mas me fala, ele comentou alguma coisa de mim? como é que ele tá? ele conheceu outra pessoa?
- Frida, eu não quero comentar sobre o Daniel, porque eu sou muito amigo de vocês dois e fica uma situação chata pra mim.
- Tudo bem amigo, desculpa! Você tem razão, mas é que eu ainda penso nele às vezes sabe!


Enzo tentou desviar a conversa daquele assunto, pois não queria mentir para Frida, embora não pudesse contar a verdade ainda, sem o consentimento de Daniel. Então ele começou a falar sobre algumas matérias que eles estavam cursando naquele semestre para que ele pudesse manter a conversa com a amiga, sem ter que mentir ou distorcer informações para preservar o sigilo do seu namoro com Daniel. Porém, ele desejava fortemente que eles pudessem contar a verdade a Frida o mais breve possível.
Quando Enzo saiu da aula, ele ligou para Daniel e, enquanto os dois conversavam, Frida se aproximou dele para acompanhá-lo até a "Snack" como tinham combinado. A conversa ao celular demorou quase todo o caminho até a lanchonete, de modo que foi inevitável que Frida perguntasse ao amigo sobre a pessoa com quem ele falava.

- Ainda é a pessoa com quem estavas quando chegou atrasadão na aula?
- Ele mesmo! - apesar de estar incomodado em ter que omitir a identidade de Daniel, Enzo resolveu ser sincero com amiga sobre os seus sentimentos - eu estou gostando muito dele e a nossa relação está evoluindo muito!

- Que legal! Quando vou poder conhecê-lo?
- Calma Frida, ainda estamos no começo! Mas espero que em breve! - Enzo realmente esperava que, de alguma forma, quando as coisas se esclarecessem, tudo ainda permanecesse bem entre eles.

Depois de sair da lanchonete, Enzo foi direto para casa, com a intenção de estudar algumas matérias que ainda estavam pendentes. Porém, ele teve uma surpresa quando chegou lá, pois Daniel estava no sofá da sua sala conversando com seus pais.

- Am...Daniel? O que estás fazendo aqui? - Enzo estava um pouco nervoso com aquela situação para a qual não tinha se planejado.
- Eu vim te trazer esse livro que você esqueceu no meu carro outro dia - Daniel olhava fixamente para Enzo, como que tentando acalmá-lo.
- Você demorou hoje filho - disse a mãe de Enzo - o menino está aqui desde sete e meia, e já são oito e meia! Eu e seu pai ficamos aqui fazendo sala pra ele.
- Eu não me importo de ter esperado, eu adorei ficar aqui conversando com vocês - disse Daniel.
- Desculpa gente! Eu estava com a Frida na "Snack", lanchando! Daniel, vem aqui em cima comigo, eu também tenho um livro que eu esqueci de te dar.
- Tudo bem, vamos lá! Valeu pela conversa tios.

Quando chegaram ao quarto, Daniel já sabia quais os planos de Enzo, pois não havia esquecido nenhum livro com ele. Então, os dois se deram um intenso e prolongado beijo, enquanto fingiam procurar um livro. Depois conversaram um pouco, antes de Daniel ter que ir embora.

- O que deu em você para vir trazer o livro aqui em casa amor? Podias ter me dado na UFTU - Enzo acariciava o rosto de Daniel enquanto o indagava.

- Eu sei amor, mas queria te ver em outro lugar além da faculdade - Daniel deu um beijo em Enzo e continuou -, além disso, eu já vim aqui inúmeras vezes antes, por que tem que ser diferente agora?
- Não tem problema algum amor, mas é porque eu fiquei um pouquinho nervoso quando te vi aqui, não sabia o que fazer ou falar! Mas você pode vir quando quiser, só me avise antes, pra eu não ficar sem ação - Enzo riu quando terminou a frase.
- Tudo bem, eu aviso!

Enquanto os dois estavam no quarto, Frida, inesperadamente, também chegou à casa de Enzo, o que fez eles prontamente descerem até a sala para falar com ela.

- Oi Frida! O que estás fazendo aqui? - Enzo estava realmente muito surpreso com a visita, já que eles tinham acabado de ser ver na "Snack".
- Oi amigo! Eu vim aqui te entregar umas apostilas que você esqueceu em cima da mesa na lanchonete, e como fazem parte do trabalho de amanhã eu resolvi trazer logo!...Oi Daniel, tudo bem? - Frida ficou surpresa em encontrar o ex-namorado lá também.
- Oi Frida! Tudo ótimo, e contigo? - Daniel estava nervoso em ter que falar com ela estando na casa do seu atual namorado.
- Tudo ótimo! Aqui estão as apostilas amigo - Ela as tirou de uma bolsa que carregava.
- Nossa, eu definitivamente tenho que me atentar para a minha memória! -  Enzo disse isso com um tom sarcástico - O Daniel também veio me entregar um livro que eu esqueci com ele, acredita?
- Então realmente estás bem esquecido - ela riu e continuou - bem, eu já vou indo, só vim entregar isso mesmo. Até amanhã amigo! tchau tios! tchau Daniel!

Quando Frida foi embora, os pais de Enzo prontamente indagaram pelo livro que os dois supostamente teriam ido procurar, porém, eles deram a desculpa de que não haviam encontrado. Então, Daniel se despediu deles e foi levado por Enzo até o carro. Quando chegaram lá, os dois notaram que a rua não estava muito movimentada, então se deram um rápido beijo de despedida. Porém, nesse exato momento, a mãe de Enzo estava olhando pela janela e viu a cena.
Depois de se despedir de Daniel, Enzo voltou para casa e deu boa noite aos pais, alegando que estava cansado e permaneceria no seu quarto até cair no sono. Um tempo depois, sua mãe bateu na porta de seu quarto, pedindo para falar com ele, então ela contou a ele o que tinha visto e perguntou sobre aquela situação.

- Meu filho, o Daniel não estava namorando com a Frida?
- Não mãe, eles terminaram há algum tempo. Por que a pergunta?
- Eu vi vocês dois se beijando da janela, e estava preocupada que você estivesse fazendo uma coisa errada em relação à sua amiga. Além disso, eu não sabia que ele era gay.
- Obrigado pela preocupação mãe e desculpe não ter lhe contado nada. A história é a seguinte, eu e o Daniel começamos a nos relacionar a algum tempo, depois que ele terminou o namoro, e eu acho que ele está se descobrindo sexualmente, então resolvemos manter isso em segredo por enquanto. Ninguém, incluindo a Frida, sabe do nosso envolvimento, então eu queria te pedir para manter segredo até que a gente se sinta à vontade para "revelar" isso.
- Tudo bem filho, eu manterei segredo sim, não se preocupe, já que a situação é essa, não vejo problema algum nisso.
- Mas me fala mãe, o que a senhora acha de nós dois juntos?
- Meu filho, eu acho ótimo! o Daniel sempre me pareceu um menino muito agradável, gentil e educado, então, como eu disse, não vejo problema algum já que vocês dois estão solteiros e não estão prejudicando ninguém. Além disso, se for pra você se relacionar com alguém, prefiro que seja ele mesmo, já que ele é um bom rapaz.
- Obrigado pelo apoio mãe.
- De nada meu filho! Era isso que eu tinha para lhe dizer, agora tenha uma boa noite!
- Boa noite mãe!

A conversa com a mãe deixou Enzo um pouco menos aflito com a situação em que estava envolvido, pois poder compartilhar com alguém que estava gostando de Daniel era muito reconfortante. Porém, ele ainda sentia muito pesar quando Frida lhe confidenciava o quanto ainda gostava de Daniel e o quanto se sentia triste por ter terminado com ele. Na sua cabeça ainda pairava uma pergunta: como farei para conciliar o meu amor pelo Daniel com a amizade sincera com a Frida?
O fim do ano se aproximava e o romance entre os dois rapazes se fortalecia cada dia mais, pois, embora ambos estivessem bastante ocupados com os estudos para as provas finais, o namoro estava amadurecendo em muitos aspectos. Uma prova disso é que, enquanto estavam sentados em um banco dentro do campus da UFTU após saírem da aula, Daniel revelou a Enzo uma ideia que teve após este lhe contar sobre a conversa que tivera com a sua mãe:

- Eu estou considerando a ideia de oficializar o nosso namoro para os seus pais! o que me dizes disso?
- Amor, você tem certeza que quer fazer isso? - apesar de estar muito contente com a possibilidade, Enzo imaginava se Daniel realmente estava preparado.
- É claro amor! - Daniel deu uma entonação diferente à voz e, enquanto olhava profundamente nos olhos de Enzo, prosseguiu - eu já lhe disse que não tenho nenhum receio, desde que você esteja ao meu lado para me dar suporte, eu te amo, o que nós estamos construindo enquanto relacionamento é uma coisa linda e pura e, além disso, os seus pais, diferentemente dos meus, são duas pessoas muito compreensivas e já te aceitam quanto à tua sexualidade...quer mais motivos ou eu posso parar?
- Acho que é suficiente! - Enzo riu e depois prosseguiu com um tom mais sério - amor, não me entenda mal, eu estou realmente muito feliz com a tua decisão. Só estava um pouco incerto se você estava preparado para isso, mas já que você está tão confiante e decidido, eu te apoio! Vou conversar com os meus pais hoje e marcar um dia para eles conhecerem o meu novo namorado! Eles vão ficar muito surpresos, acredite!
- Eu imagino que sim! - os dois riram.

Depois desta breve conversa, os dois tiveram que ir para as suas respectivas casas, pois as próximas semanas iriam ser repletas de entregas de trabalhos e artigos, apresentação de seminários e realização de provas escritas.
Quando chegou em casa, Enzo prontamente conversou com os pais sobre a possibilidade de um jantar para ele apresentar o novo namorado a eles. Os pais de Enzo sempre foram bastante compreensivos desde que o filho lhes contou sobre a sua orientação sexual e sempre aprovaram a sua postura quanto aos namoros, bem como os namorados que havia escolhido, então não apresentaram qualquer tipo de oposição à sua proposta.
No outro dia, enquanto ia de carro para a UFTU, Enzo, bastante empolgado, contou a novidade a Daniel, que, apesar do frio na barriga inicial, também se mostrou muito feliz com a novidade e, visivelmente, bastante ansioso.

- Que bom que os seus pais concordaram com a ideia, agora é só esperar para ver como eles, ou melhor, o seu pai vai lidar com a novidade de que eu seja o dito cujo namorado.
- Não se preocupe amor, vai dar tudo certo! A minha mãe disse que pode ser na sexta-feira, ela vai preparar uma coisa bem especial, e, como ela já sabe quem é, aposto que vai ser lasanha! - os dois riram, já que aquela era a comida preferida de Daniel e a mãe de Enzo sabia disso.

- Sexta é perfeito, ainda tenho dois dias para me preparar emocionalmente! - Daniel riu e continuou - e tomara que seja lasanha mesmo, porque ninguém prepara uma melhor que a sua mãe!
- Isso é verdade! ela se supera nesse quesito!

Daniel parou o carro alguns quarteirões antes de chegar à universidade, para que pudesse beijar o namorado, sem ter que se preocupar com os expectadores.

- Eu te amo! - disse Daniel depois de beijar Enzo - e espero que tudo dê certo nesse jantar, pois os seus pais são pessoas importantes pra você e eu quero que eles saibam que eu também te quero bem!
- Daniel, você é um sonho que se torna realidade sabia! - Enzo sorriu, tocou no rosto de Daniel e olhou bem fundo em seus olhos - os meus pais já sabem que me fazes feliz, pois és o melhor amigo que já encontrei, mas agora, além de ser meu melhor amigo, és a pessoa com quem eu quero dividir os meus dias...os meus segredos...as minhas felicidades e, se necessário, as minhas tristezas. Eu também te amo!

Enquanto os dois estavam no carro, conversando e se beijando, não perceberam que alguém do outro lado da rua os havia reconhecido. Esta pessoa era Juliana, uma amiga de Frida, que já tinha visto os dois na "Snack" em outra noite, porém, desta vez ela presenciara o beijo que eles haviam dado. Alheios à sua presença, poucos minutos depois, os dois rumaram para a UFTU e cada um foi para a sua respectiva sala de aula.
Quando a sexta-feira chegou, Enzo estava ansioso para que seus pais conhecessem o atual namorado, e aguardava impacientemente pela chegada de Daniel às oito horas, como tinha combinado com ele. Antes disso, ele estava na sala de estar com seus pais, conversando antes do tão esperado jantar.

- E então filho, como você conheceu esse rapaz? - perguntou o pai de Enzo, alheio identidade do dito cujo rapaz.
- Bem, pai, digamos que nos conhecemos da UFTU.
- E, há quanto tempo vocês se conhecem?
- Faz uns dois anos pai.

Nesse momento, a campainha toca e Enzo vai até a porta atender, intuindo que fosse Daniel e, por isso, com o coração acelerado. Quando ele abre a porta, a sua intuição se mostra certa e ele convida Daniel a entrar, sendo que, o pai de Enzo, ao ver quem chegara, pergunta:

- O Daniel, também veio conhecer o teu namorado?
- Pai, na verdade... - Enzo foi interrompido por Daniel.
- Seu Roberto...na verdade, eu sou o namorado do Enzo - ele respirou fundo depois de falar isso.
- Mas como assim Daniel? - Roberto estava visivelmente surpreso - és gay? todo esse tempo que vens aqui em casa, estavas namorando o Enzo?
- Calma pai, vamos por partes! - disse Enzo - acho melhor a gente sentar e nós vamos lhe contar toda a história.
- Tudo bem meu filho.

Os quatro sentaram nos sofás para conversar a respeito da história de Enzo e Daniel, o que demorou vários minutos, pois além de explicar sobre a fase em que Daniel se encontrava a respeito de sua sexualidade, foi necessário esclarecer a progressão da amizade entre os dois para o atual namoro.

- Então estás te descobrindo sexualmente Daniel? - perguntou Roberto - e o teu namoro com a Frida, como ficou esse assunto?
- Bem, seu Roberto, eu e o Enzo sempre fomos muito próximos, desde que entramos na UFTU, e, ao longo do tempo eu percebi que eu nutria por ele um sentimento diferente de amizade - Daniel, constantemente, olhava para Enzo enquanto falava - e, embora eu nunca tenha me envolvido com um rapaz, eu tive certeza de que queria me relacionar com ele, tal como estamos fazendo agora. Mas, antes de começarmos a ter qualquer tipo de envolvimento, eu terminei meu namoro com a Frida, pois não queria machucá-la. Espero, sinceramente, que vocês dois aprovem isso!
- Daniel - disse o pai de Enzo em resposta - desde que começastes a frequentar esta casa, eu sempre tive uma boa impressão de ti e acho que sempre fostes uma boa companhia para o meu filho, eu não vejo nenhum problema no fato de vocês se relacionarem. Me desculpa a exaltação quando chegastes, mas é que eu imaginei que vocês pudessem ter nos escondido essa relação, e, desde que o Enzo nos contou sobre a sua orientação sexual, nós deixamos muito claro que não há necessidade de nos esconder coisas sobre esse assunto, mas já que a situação é como vocês contaram eu fico mais tranquilo.
- Realmente Daniel - disse a mãe de Enzo - és um ótimo rapaz e tenho certeza que vais tratar o nosso filho como ele merece, então, da minha parte, não vejo problema algum também.
- Obrigado seu Roberto e dona Maria, prometo que vou tratar o Enzo como ele merece e ser um bom namorado pra ele.
- Mas, me fala Daniel - indagou Maria - como os teus pais reagiram quando contastes sobre a tua sexualidade?
- Bem, dona Maria...na verdade, eu ainda não contei pra eles - Daniel ficou fisionomicamente triste - e, sinceramente, não sei como fazer isso. Eles têm um posicionamento contrário ao homossexualismo.
- Falando nisso, precisamos que isso ainda seja um segredo! - exclamou Enzo - pois, já que o Daniel ainda vai contar para os pais dele sobre esse assunto, ninguém mais pode saber. Ele se propôs a contar pra vocês, porque ele sabe o quão compreensivos vocês são comigo e, também, porque ele achou melhor que vocês soubessem com quem eu estou envolvido atualmente.
- Pode contar com o nosso apoio Daniel! -  disse Roberto - da mesma forma como damos apoio ao nosso filho, também apoiamos que possas ter uma orientação sexual diferente do que os outros esperam, se essa for a tua vontade. Além disso, queremos que você confie em nós para conversar sobre esse assunto.
- Com certeza, meu filho, pode contar com o nosso apoio - complementou Maria - e não hesite em frequentar a nossa casa como namorado do Enzo, pois eu sei que, pra vocês que querem manter isso em segredo, é difícil se relacionar indo somente a locais públicos.
- Muito obrigado tios, o apoio de vocês é muito importante pra mim! Pra gente, na verdade, pois, realmente, temos essa dificuldade, desde que começamos a namorar, e, sabendo que vocês aprovam nosso namoro, fico mais tranquilo e seguro.
- Bem, agora que já deixamos tudo esclarecido, acho que podemos jantar, certo? - disse Enzo, que já estava faminto.
- Claro filho, vamos lá! - disse Maria, enquanto se dirigia para a cozinha - eu preparei uma coisa especial pra vocês! Lasanha!
- Que bom mãe!
- Eu adoro a sua lasanha dona Maria! é a melhor que existe! - exclamou Daniel.
- Eu não te disse! - sussurrou Enzo para Daniel.

O jantar ocorreu de maneira tranquila e os quatro continuaram conversando sobre diversos assuntos enquanto se deliciavam com a lasanha preparada por Maria. Porém, em certo momento, a campainha tocou durante o jantar e, quando Enzo foi até a porta verificar, encontrou a última pessoa que ele esperava ver naquela noite. Ele ficou, momentaneamente, sem saber o que fazer, pois, enquanto Daniel, o seu namorado, estava jantando com os seus pais em uma noite planejada para apresentá-lo a eles como tal, Frida, a ex-namorada de Daniel e sua melhor amiga, estava na porta da sua casa.
Antes que Enzo pudesse dizer qualquer coisa, Frida o abraçou e começou a falar, em meio a alguns soluços:

- Enzo, eu briguei com a minha mãe e não quero ficar em casa! Posso ficar aqui na sua casa hoje?
- Frida... - Enzo estava ainda mais sem reação, mas ao ver a amiga precisando de ajuda se recompôs e respondeu ao seu pedido - entra, vamos conversar com os meus pais - enquanto caminhavam em direção à cozinha, ele estava se preparando mentalmente para o que viria depois.
- Obrigada Enzo...- quando chegou à cozinha e viu Daniel sentado à mesa com os pais de Enzo, Frida ficou surpresa - Daniel! o que estás fazendo aqui?
- Oi Frida! - Daniel respondeu de forma intermediária entre surpresa e nervosismo.
- Mãe...pai...vocês podem vir aqui comigo um instante? - disse Enzo - eu já volto Frida.

Quando os pais de Enzo chegaram à sala de estar, ele explicou toda a situação a eles e pediu que eles agissem como se Daniel estivesse apenas, por um acaso, jantando com eles naquele dia. Além disso, comentou com eles sobre a situação na casa de Frida e sobre a possibilidade dela dormir ali naquela noite.
Maria e Roberto concordaram com todos os pedidos de Enzo, embora tenham feitos muitas perguntas e tenham dado muitos conselhos ao filho, os quais seriam reforçados em outro momento, segundo eles. Quando voltaram à cozinha, Frida estava conversando com Daniel, que estava visivelmente desconfortável com a situação em que se encontrava.

- Voltamos gente! - disse Enzo ao adentrar a cozinha - Frida, eu conversei com meus pais e eles concordaram que durmas aqui essa noite, sem problemas!
- Muito obrigada Dona Maria e Seu Roberto! - disse ela agradecida.
- De nada minha filha - disse Maria - e, se quiseres, podes jantar com a gente.
- Agradeço de novo, mas eu já jantei.
- Queres que eu te leve ao quarto pra descansares? - disse Enzo.
- Se não tiver problema, eu gostaria sim.
- Sem problema! eu já volto - Enzo olhou diretamente pra Daniel quando disse isso, primeiramente para verificar como ele aparentemente estava e, em segundo lugar, para confortá-lo e assegurar que ele não fosse embora.

Enzo a conduziu até o seu quarto, onde havia um colchão no qual sempre dormiam os amigos que ele levava para dormir em sua casa e, enquanto ele organizava as cobertas para que ela pudesse se deitar, Frida indagou:

- Por que o Dan estava jantando com vocês hoje?
- Ah...- Enzo pensou bem antes de responder - ele estava aqui em casa desde que saímos da UFTU, então minha mãe convidou ele para jantar.
- Hum, entendi! Mas ele fica aqui com frequência?
- Frida, estás querendo perguntar alguma coisa específica? - disse Enzo percebendo o tom da conversa.
- Bem, não necessariamente, mas hoje a Juliana me disse que tem certeza de que o Dan está com outra pessoa, e ainda disse que saberias me contar mais a respeito disso. Então estou perguntando, sabes alguma coisa sobre a pessoa com quem ele está?
- Olha Frida, como eu já te disse, sou amigo dos dois, então não é justo que eu comente contigo algo que ele não te contou. Acho melhor que perguntes a ele ou descubras sozinha - ele não queria mentir pra amiga, mas não havia maneira de contar sobre o relacionamento com Daniel naquela noite - desculpa mesmo!
- Tudo bem Enzo, eu entendo o teu ponto de vista.
- Que bom! olha, eu tenho que descer e falar com o Daniel, porque acho que ele já deve estar indo embora. Se não estiveres dormindo quando eu voltar, a gente pode conversar sobre o que aconteceu na tua casa, se quiseres.
- Tá bom! vai lá.

Quando retornou à cozinha, Enzo não encontrou ninguém, então caminhou até a sala onde encontrou seus pais e Daniel, que ao vê-lo, prontamente, se levantou do sofá e se despediu de Maria e Roberto. Quando estavam na porta da casa, Enzo disse:

- Amor, eu sinto muito! Não queria te deixar sozinho e estragar nosso jantar, mas eu tinha que ajudar a Frida! - Ele estava aparentemente muito nervoso, tanto que falava apressadamente.
- Amor... - Daniel colocou a mão no ombro de Enzo - relaxa, o jantar foi ótimo e eu não estou chateado com você! Mas é melhor eu ir embora, porque está ficando tarde e você precisa ir conversar com a Frida. Amanhã a gente se vê!
- Tá bom amor! Obrigado por compreender - disse Enzo bem mais calmo - me liga antes de dormir!
- Pode deixar - Daniel se despediu com um abraço e um beijo na bochecha - te amo!

Depois disso, Enzo ainda parou na sala para dar mais explicações aos seus pais, que estavam preocupados com a situação criada pela chegada de Frida.

- Meu filho, quando vocês irão contar a verdade para ela? - disse Maria - afinal ela é sua amiga e merece saber a verdade. 
- Mãe...é complicado, a Frida ainda gosta do Daniel e eu não sei como ela vai reagir a isso. De qualquer modo, hoje não tem condições de contar a ela sobre isso, mas eu vou conversar com ele amanhã pra nós decidirmos como faremos isso.
- Boa sorte meu filho - disse Roberto - espero que dê tudo certo nesse processo, eu imagino como deve ser complicado.
- Muito obrigado pai! Me desculpem pelo transtorno e por fazer vocês simularem algo, eu sei que isso foi errado, mas eu não sabia o que fazer.
- Nós estendemos filho, não se preocupe - garantiu Maria - agora vá ver como está a menina.
- É verdade! Boa noite para vocês! - disse Enzo, enquanto se retirava da sala.

Quando chegou ao seu quarto, Enzo encontrou Frida deitada, envolta pelas cobertas, então achou que ela estivesse dormindo. Quase imediatamente, o seu celular tocou e ele viu que era Daniel ligando, então atendeu e conversou com ele por alguns instantes. Depois de terminar a conversa, Enzo foi escovar os dentes, alheio ao fato de que a amiga estava apenas deitada enquanto ele estava conversando com Daniel e de que ela pegara seu celular para ver a última ligação quando ele foi ao banheiro. Assim, quando ele voltou do banheiro, ela estava lhe esperando com o celular na mão e uma pergunta:

- Enzo, por que a última ligação no teu celular é pro Daniel, sendo que estavas tratando essa pessoa por "amor"?
- Frida... - Enzo se viu em uma situação sem saída e estava muito nervoso - eu não sei o que te dizer...
- Podes começar me dizendo por que a Juliana me disse que viu o Daniel te beijando?
- Frida... - ele ainda não conseguia fizer nada, pois estava tudo ocorrendo exatamente como não queria.
- Enzo, eu não quis acreditar na Juliana, disse que ela estava mentindo! Mas essa ligação foi o suficiente para me mostrar que ela estava certa! O que está acontecendo? o Daniel é gay? por que me traístes dessa forma? há quanto tempo vocês vêm escondendo isso?
- Frida, não é como parece! - Enzo finalmente se pronunciou - sim, eu e o Daniel estamos juntos, desculpa não ter te contado, mas...
- Enzo... - Frida o interrompeu - quer saber, não me interessam as suas explicações! Independentemente de qualquer coisa, eras meu amigo e tinhas o dever de me contar sobre o que estava acontecendo, eu fiz papel de idiota nessa história!
- Me deixa explicar Frida....
- Não Enzo - ela estava irredutível - eu agradeceria muito se a gente pudesse simplesmente dormir, pois eu não tenho para onde ir hoje mesmo, mas eu não quero mais falar contigo! Nossa amizade acabou!

Enzo não conseguiu fazer Frida ouvi-lo, então resolveu deixá-la dormir, esperando que, no dia seguinte, ela fosse mais razoável com ele. Porém, quando acordou, Frida já tinha ido embora, deixando apenas um bilhete:

Enzo,
A nossa amizade acabou
Eu não consigo perdoar o fato de teres mentido pra mim da forma como fizestes.
Agradeço por teres me deixado dormir na tua casa, mas, por favor, não me procura mais, pois eu não quero conversar contigo, muito menos ouvir as suas explicações.

C
onforme Enzo lia o bilhete, uma sensação de mal-estar muito forte o dominou, pois ele acabara de perceber que, naquela situação, o confronto entre uma grande amizade e um grande amor tinha tido um perdedor: a amizade!

Anterior                                           Próximo

4 comentários:

  1. Cada vez que termino de ler um capítulo ... fico ansioso pra ler o outro ... muito envolvente ... muito bom

    ResponderExcluir